Decoração

Um guia prático para a reforma da sua casa

outubro 10, 2018

Muitos motivos podem fazer com que alguém decida investir na reforma de casa, como problemas na estrutura ou a vontade de mudar os ares da residência. Seja lá qual for a razão, esse é um processo que muitas vezes traz um certo receio e pode ser adiado.

Antes de mais nada, é importante salientar que sim, uma reforma é um assunto bastante sério. Por conta disso, ele deve ser conduzido com responsabilidade e muita cautela, para que tudo dê certo e o resultado seja satisfatório. No entanto, saber lidar com os imprevistos é tão importante quanto um bom planejamento, já que eles fazem parte da rotina de uma reforma.

Mas afinal, como fazer um bom planejamento de reforma? Quais são os materiais essenciais? Quais profissionais contratar para ajudar com a mão de obra qualificada? O que deve ser levado em consideração na hora de montar um cronograma de reformas?

Você tem todas essas dúvidas? Não se preocupe! Preparamos um post completo e informativo para auxiliá-lo a organizar as suas ideias nesse período e mostrar que você não está sozinho. Continue a leitura e tire as suas principais dúvidas sobre o tema!

Como iniciar uma reforma de casa da maneira correta?

Sabemos que começar uma reforma nem sempre é fácil. Afinal, há o medo de que tudo se torne uma bagunça, que os gastos sejam muito altos e que o resultado não saia como o esperado. No entanto, com o planejamento minucioso e adequado, isso não precisa ser um problema.

Antes de começar uma reforma, você precisa pensar em alguns pontos cruciais que serão a base para todo o seu trabalho. Tendo isso em mente, fica muito mais fácil decidir que tipo de reforma será feita e a partir daí, guiar todo o planejamento e torná-lo perfeito para as suas necessidades. Abaixo, listamos esses pontos:

1. Crie uma lista

O primeiro ponto é identificar quais são as mudanças que você quer realizar em sua casa. Observe-a e imagine tudo aquilo que você gostaria que fosse diferente e anote, sem medo de ser feliz. Escreva todas as suas angústias e expectativas em relação ao imóvel e não se preocupe: algumas coisas serão filtradas um pouco mais à frente.

2. Converse com os demais moradores

Com as ideias iniciais em mãos, chega a hora de entrar em contato com as outras pessoas que moram com você e pedir a opinião delas. Nesse momento, muitas outras ideias surgirão e algumas serão riscadas. Por isso, a perspectiva de todos os residentes é fundamental para moldar esse rascunho.

Outra dica bacana é fazer uma lista dos problemas que estão presentes em sua casa. Infiltrações, vazamentos, aquele piso quebrado no final do banheiro… Anote todos esses detalhes para que fique mais fácil encontrá-los a seguir e para que nenhum deles fique de fora.

3. Encontre os profissionais certos

Com tudo pronto, chegou a hora de entrar em contato os profissionais responsáveis pelas mudanças. Lembre-se de que você pode contratá-los de modo avulso ou procurar os serviços de uma construtora, que pode auxiliar no processo.

Independentemente de sua decisão, a opinião desses especialistas é crucial para definir o que pode ou não ser feito em sua casa de acordo com a estrutura que ela tem e com a realidade do ambiente, do clima de sua cidade, das leis etc.

Por fim, essa opinião prévia é fundamental para evitar bagunças desnecessárias em sua casa. Esses profissionais têm a visão e o conhecimento para visualizar todas as alterações antes mesmo que elas sejam feitas.

O que é um projeto de reforma?

Como vimos no tópico anterior, um projeto é extremamente importante para a sua reforma e deve ser elaborado em conjunto por profissionais competentes, como o arquiteto e o engenheiro. Esse tipo de trabalho servirá como um guia para toda a reforma, simplificando a sua obra e ajudando você a visualizar os resultados antes da primeira martelada acontecer.

Além disso, ele é fundamental para garantir que todo o processo esteja dentro das normas e leis de sua cidade. Vale lembrar que cada prefeitura tem regras específicas e que apenas esses profissionais conseguem fazer uma obra legítima, seja ela a partir do nada ou uma reforma de um imóvel já existente.

Outro ponto importante é o orçamento, que pode ser feito a partir dos dados obtidos durante a realização do projeto. Os próprios profissionais criam uma estimativa do que será gasto e garantem que você não jogue o seu dinheiro no lixo. Tudo isso, é claro, sempre em conjunto com você e levando em consideração as suas vontades e opiniões.

Eles também são os encarregados de escolher os materiais certos para as horas certas, levando em consideração até mesmo os fatores climáticos da cidade. Além disso, esses profissionais são treinados para conhecer os revestimentos que aguentam mais sol ou chuva, o melhor lugar para colocar uma janela e outros pontos que podem passar despercebidos para a gente.

Mas afinal, o que é um projeto? Os projetos são, de forma simplificada, o esqueleto e a personalização de toda a sua obra. Trata-se de um documento essencial, que contará com todas as informações importantes sobre esse processo, desde a planta da casa, o esquema da rede elétrica e hidráulica e outros fatores essenciais para o sucesso da reforma de casa.

Como criar um cronograma de maneira simples, mas eficaz?

Como vimos, o projeto é responsável por sintetizar e explicar todos os aspectos de sua obra. Por isso, ele serve como um documento e uma garantia para todos os envolvidos na reforma, como você e os profissionais responsáveis pela sua execução. No entanto, isso não exclui a importância de um cronograma para guiá-lo pelo processo.

Nesse cronograma você listará tudo aquilo que é esperado e verá se o andamento da sua obra está indo de acordo com o combinado. Você pode, é claro, pedir a ajuda dos profissionais responsáveis para elaborá-lo, mas daremos algumas dicas do que não pode ficar de fora. Confira:

Liste os passos que serão dados

Em seu cronograma, devem estar obrigatoriamente listadas todas as atividades que serão executadas em sua residência. Para preencher essa parte, você pode e deve conversar com os profissionais responsáveis pela reforma, certo? Nada de tentar adivinhar o que será feito: você precisa conhecer a sua própria obra.

Caso não saiba por onde começar, uma boa dica é separar a sua lista por cômodos e a partir daí anotar tudo o que será feito em cada um deles. Assim, fica mais fácil estabelecer uma ordem e definir um orçamento do que será necessário.

Especifique as datas em que eles ocorrerão

O próximo passo é definir a ordem cronológica em que os reparos serão feitos. Em conjunto com os profissionais contratados, sente e converse sobre o que eles acham mais importante priorizar, e dê também a sua opinião. Lembre-se que tais decisões devem levar em consideração o seu estilo de vida e as suas necessidades, ok?

No entanto, é preciso ter em mente que muito dificilmente duas etapas ocorrerão simultaneamente. Além de ser não ser muito prático, isso atrapalha a logística da obra e faz com que as chances de algo dar errado aumentem. Por isso, é recomendado que tudo siga uma ordem e que as etapas estejam devidamente finalizadas antes de outras começarem.

Tenha todas as medidas sempre à mão

Apesar de simples, essa dica pode facilitar — e muito — o seu cronograma e toda a sua vida durante o processo de reforma. Recomendamos que você meça todas as estruturas que serão posteriormente alteradas. Isso pode incluir os cômodos, paredes ou até mesmo móveis que você pretende colocar mais à frente.

Ter essas medidas sempre em mão e anexá-las no seu cronograma para consulta é fundamental para poupar tempo e fazer orçamentos muito mais precisos. Além disso, isso evita ter que sempre voltar para realizar uma nova medição. Faça cópias e deixe-as disponíveis para os pedreiros e outros profissionais, o que também agilizará o trabalho deles.

Faça um bom orçamento

Em seguida, chega uma das partes mais complicadas do cronograma e do planejamento: o orçamento. No entanto, com a organização prévia e a separação e ordenação de tarefas, esse ponto se torna muito mais simples. Além disso, lembre-se de que você contará com a ajuda de quem entende do assunto para definir quais serão os materiais comprados.

A partir da lista elaborada em conjunto por todos os envolvidos, chega a hora de ir para campo e pesquisar. Faça diversos orçamentos em lojas e prestadoras diferentes, até chegar naquela com o melhor custo-benefício para a sua reforma.

Priorize, além do valor, produtos de boa qualidade. Lembre-se que o barato pode sair caro e que muitas vezes a economia não é muito benéfica nesses casos.

Quanto vou gastar e como posso reduzir os custos da reforma de casa?

No último tópico, conversamos brevemente sobre o orçamento e demos algumas dicas de como realizá-lo e, principalmente, de como organizar as ideias até chegar nesse ponto tão importante. No entanto, precisamos destrinchar um pouco mais essa questão, para que ela fique bastante clara.

O fator financeiro é, de modo simplificado, o que rege a reforma e faz com que ela caminhe. O dinheiro é preciso para pagar a mão de obra especializada, comprar os materiais e fornecer as condições necessárias para que tudo ande como o planejado. Por isso, um bom planejamento financeiro deve ser a prioridade em uma reforma.

Um orçamento bem-feito garante não só o sucesso da obra, mas também a possibilidade de moldá-la de acordo com a quantidade de dinheiro disponível. Além disso, ter tudo controlado ajuda muito na hora de imprevistos, que acontecem com muita frequência. A seguir, confira algumas dicas para fazer um bom planejamento financeiro:

Defina quanto dinheiro você tem disponível para a obra

O primeiro passo para qualquer planejamento financeiro de sucesso é definir a quantidade de dinheiro disponível para aquela reforma. Isso guiará toda a obra e fará com que você tenha um controle muito melhor de seus gastos.

Lembre-se que muitas vezes, um orçamento deve ser feito e refeito para se adequar a realidade. Por isso, não espere fazê-lo em um único dia e tenha muita calma na hora de calcular todos os gastos, ok?

Calcule as CPUs

Você provavelmente já percebeu que nos orçamentos ou notas fiscais constam os preços unitários dos itens comprados, certo? O cálculo de CPU (composição de preços unitários) calcula justamente isso e torna a visualização dos gastos muito mais simples.

Para realizá-la, anote os valores unitários de todos os materiais que você precisará (ter a listinha feita em conjunto com a equipe ajudará muito nessas horas). Esse tipo de trabalho pode ser feito manualmente ou com a ajuda de softwares e aplicativos (alguns, inclusive, são gratuitos).

Não se esqueça dos custos indiretos

Os custos indiretos são aqueles que, como o próprio nome já indica, não têm relação direta com a sua reforma. Apesar disso, eles são essenciais para que tudo funcione e devem ser colocados em seu orçamento em uma área reservada apenas para eles.

Eles incluem os gastos com a mão de obra, com as contas de água e energia elétrica, o combustível utilizado, a alimentação fornecida aos trabalhadores, entre outros pontos importantes. Por isso, não podem ficar de fora do orçamento em hipótese alguma!

Mais uma vez, capriche nos orçamentos

Já demos essa dica, mas precisamos repeti-la pois ela é extremamente importante: faça muitos orçamentos com a sua lista de materiais em mãos. Nem sempre a primeira opção é aquela com os valores mais justos e por isso, pesquisar é fundamental.

Vá a diversos estabelecimentos e busque por descontos. Além disso, comprar itens diferentes em lojas diferentes pode ser uma boa opção. Busque sempre os melhores preços e economize para que uma quantia fique guardada para possíveis imprevistos. Lembre-se de nunca gastar todo o seu dinheiro disponível em um orçamento!

Quais materiais não podem ficar de fora do meu orçamento?

Um dos maiores desafios de um planejamento de reforma de casa é justamente pensar em todos os materiais necessários para fazer a obra, certo? Isso se torna ainda mais preocupante quando somos leigos e não conhecemos boa parte dos itens e produtos.

Por isso, é essencial contar com a ajuda e o aconselhamento de quem realmente entende do assunto para garantir que nada fique faltando e precise ser comprado às pressas. Apesar disso, nada impede que você conheça alguns dos principais materiais e fique mais informado sobre o assunto, certo?

Pensando nisso, preparamos uma listinha com alguns dos itens mais utilizados em reformas, aqueles que não podem, de jeito algum, ser deixados de lados na hora de montar uma lista com a equipe responsável. Confira:

Itens básicos e essenciais

Os itens básicos são aqueles que serão utilizados em algum ponto de sua reforma. Eles podem incluir furadeiras, lixas, alicates, martelos, pregos, parafusos, chaves de fenda, chaves de boca, pinceis e outros itens já conhecidos, mas que não podem ser deixados de lado pois serão usados mais cedo ou mais tarde.

Converse com a equipe e verifique quais deles são realmente essenciais (lembre-se de que há muitos subtipos e numerações em cada um dos itens). Dessa maneira, nenhum dos funcionários será prejudicado quando precisar fazer aquele reparo básico.

Materiais de estruturação

Outros materiais comumente utilizados são os itens de estruturação, que servem para dar forma ou separar cômodos e estruturas de uma casa. Eles incluem tijolos, cimento, areia e outros tipos de produtos que têm a função de dar forma a alguma coisa.

Nem sempre eles serão necessários, especialmente em reformas mais simples. No entanto, se você está reestruturando um cômodo ou criando uma nova área em sua residência, eles certamente darão o ar da graça em seu orçamento.

Itens para a rede elétrica

Nem sempre será necessário mexer na rede elétrica durante uma reforma, especialmente naquelas mais superficiais. No entanto, muitas vezes essas alterações fazem parte do cronograma, seja por problemas estruturais na própria fiação ou por necessidade da criação de novas conexões em um cômodo recém-construído, por exemplo.

Nesse tópico, podemos citar fios, conduítes, disjuntores e várias outras estruturas específicas para esse tipo de trabalho. Mais uma vez, a opinião dos eletricistas responsáveis é fundamental para garantir que ele tenha todas as ferramentas necessárias para trabalhar.

Itens para a rede hidráulica

Assim como a rede elétrica, a rede hidráulica nem sempre entra no planejamento de uma reforma, a menos que existam problemas estruturais em sua execução (como entupimentos ou vazamentos) ou a modificação de algum cômodo específico.

Para essa etapa, podemos citar a necessidade de adquirir canos, colas, válvulas, registros, caixas d’água e muitos outros itens essenciais. Mais uma vez, o profissional responsável (um encanador ou bombeiro hidráulico) poderão auxiliá-lo com a lista final de produtos necessários.

Pisos e revestimentos

Comprar pisos e revestimentos é uma das partes mais divertidas de toda a reforma. Com tantas cores, formatos e texturas, fica muito mais fácil imaginar qual será a cara de sua residência ao final da obra, certo?

Lembre-se, no entanto, de optar por produtos feitos com os materiais adequados. Por exemplo, nada de escolher pisos escorregadios para a área externa. Leve em consideração esses detalhes e o seu estilo de vida, já que muitos deles exigem uma manutenção mais frequente.

Produtos para o acabamento

Assim como os pisos e revestimentos, comprar os acabamentos de uma casa pode ser uma tarefa muito divertida. Levar toda a família para escolher os itens (que vão desde a cor das paredes às janelas e até os vasos sanitários e as pias) pode ser um ótimo meio de passarem um tempo juntos!

Mais uma vez, é necessário prestar atenção em pontos como: cores, qualidade dos produtos, necessidade de manutenção, etc. Com tudo isso, fica muito mais fácil comprar os itens que realmente deixarão a sua casa com um toque todo especial!

Itens de decoração

A decoração é a última parte a ser feita em uma casa. Ela pode, é claro, ser feita apenas pelos moradores ou contar com a ajuda e a experiência de um profissional especialista no assunto.

Seja lá como for, é possível incluir esse tipo de material no orçamento, especialmente porque alguns deles conversam diretamente com a reforma (como é o caso da iluminação dos ambientes). Além disso, os móveis também fazem parte da decoração e você finalmente terá um espaço perfeito para colocar aquela linda mesa de jantar ou escultura que sempre quis.

Quais são os profissionais que devo contratar?

Muitas vezes, contratar uma construtora pode ser uma boa opção para fazer a sua reforma, especialmente se ela tiver um porte maior. Esse tipo de prestadora de serviço saberá exatamente quais são as mãos de obra necessárias para o seu caso e farão a conexão entre você e os melhores profissionais do mercado.

No entanto, você também pode decidir contratá-los separadamente, sem o menor problema. Opte sempre por profissionais com boas referências e priorize aqueles que você sabe que fazem um trabalho bem-feito. Para uma reforma, os principais tipos de trabalhadores contratados são:

  • arquiteto;
  • engenheiro;
  • eletricista;
  • encanador;
  • marceneiro;
  • pedreiro;
  • pintor;
  • designer de interiores.

Com essa equipe, você estará completamente coberto e a sua obra terá toda a assistência necessária, além de obedecer às normas de segurança e estar dentro de todos os conformes!

Como lidar com os imprevistos em uma reforma?

A dificuldade de lidar com imprevistos faz parte da natureza humana. Para nós, é difícil manter a calma quando algo foge do que planejamentos e é normal ter uma sensação completa de controle perdido.

No entanto, é importante ter em mente que, no decorrer de uma obra, imprevistos surgirão. Eles podem ter vários graus de seriedade, mas é praticamente impossível que uma reforma chegue ao fim sem que algo fuja um pouco do cronograma.

Atrasos, itens quebrados, entregas não efetuadas, chuvas, funcionários doentes e outros tipos de acontecimentos podem fazer com que o seu planejamento saia um pouco daquilo que foi estipulado no papel. Por isso, é essencial manter a calma e conversar com os envolvidos para chegar em um consenso.

Além disso, ter um dinheiro extra para eventualidades (como a substituição de algo que quebrou, por exemplo) é fundamental para que a sua obra não fique parada. Por isso, economize e busque bons preços.

Como podemos perceber, uma reforma de casa é um assunto muito sério mas que, com calma e um bom planejamento, tem tudo para dar certo. Por isso, siga as dicas oferecidas neste post e comece ainda hoje a planejar todas as mudanças que tornarão o seu lar ainda mais a sua cara e mais adequado às suas necessidades e às de toda a sua família!

Agora que você já conhece todas essas informações, que tal entrar em contato com a gente para que possamos bater um papo sobre esse assunto? Em caso de dúvidas, sugestões ou solicitações, não hesite em nos deixar uma mensagem! A nossa equipe está sempre à disposição para conversar com você. Até a próxima!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply