Decoração

Redecorar a casa: o guia absolutamente completo!

fevereiro 18, 2019

Se para muitos desenvolver uma decoração de imóvel é sinônimo de dedicação e muita pesquisa, para outros redecorar a casa representa trabalho em dobro! Porém, a verdade é que organizar e colocar em prática esse processo está longe de ser algo difícil como muitos imaginam. O que é preciso, de fato, é planejamento e alguns norteamentos sobre o que fazer para deixar o seu lar com cara de forma segura e rápida.

Pensando nisso e no fato de que cedo ou tarde você também passará por essa fase, preparamos um guia completo com dicas do que revitalizar, sugestões de por onde começar, quais cuidados ter e, em especial, os benefícios que você tem ao adotar uma nova ambientação na residência. Acompanhe e se inspire!

Por que e quando redecorar a casa?

Redecorar a casa é um processo que pode ocorrer por diversos motivos. Há quem decida mudar o visual dela, por exemplo, porque é adepto das decorações cíclicas — um viés da arquitetura que propõe que a cada período de tempo (de meses ou anos, fica ao seu critério) você adote um estilo de décor diferente e absorva as filosofias por trás deles na sua vida. Ou seja, é uma forma de se reinventar e se desafiar.

Porém, também há pessoas que optam por essa mudança porque já notaram há tempos que a mobília, os acessórios decorativos, os eletrodomésticos, os revestimentos e os acabamentos estão defasados, desgastados ou mesmo danificados.

Fora esses casos, ainda há muita gente que está incomodada com a falta de espaço, o desconforto nos cômodos, os problemas estruturais na residência e precisam de uma reforma para corrigir tudo isso. Portanto, vai de você identificar quando é necessário transformar o seu lar e se ele requer ou não mudanças mais enérgicas.

Quais os benefícios de redecorar a casa

Quando se trata de redecorar a casa, a grande maioria das pessoas logo associa esse processo com a possibilidade de deixar o lar mais bonito e alinhado com as últimas tendências do design de interiores. Porém, essas não são as únicas vantagens. Abaixo, você confere outros benefícios de repaginar o interior da sua residência e como isso impacta, inclusive, a qualidade de vida da sua família!

Otimizar o uso do espaço

Para começar, redecorar a casa permite que você otimize a metragem dela. Ou seja, deixe os ambientes pequenos funcionais e aproveite de maneira inteligente os recintos que são integrados e contam com uma área livre que pode ser facilmente desperdiçada.

Na prática, isso significa acabar com o sobrecarregamento dos cômodos com coisas que não têm utilidade no seu dia a dia e só ocupam espaço, além de pensar em alternativas para explorar os cômodos independentemente das limitações deles. A partir daí, eles ficam mais livres para a realização de tarefas cotidianas, o fluxo de pessoas e, de quebra, a circulação de ar.

Aumentar a iluminação interna

Uma segunda vantagem é que a redecoração não só melhora, como aperfeiçoa a iluminação da casa. Em outras palavras, isso significa que, nesse momento, é desenvolvido um projeto luminotécnico para os diferentes cômodos que alia a presença de luz natural e artificial na medida certa e, acima de tudo, respeita as particularidades da sua casa. 

Com isso, cada espaço recebe um nível apropriado de luminosidade ao longo do dia que proporciona conforto visual e não afeta a sua percepção das cores, aumenta a temperatura interna dos recintos ou mesmo dificulta a realização de tarefas que requerem foco e habilidades manuais (como cozinhar, passar roupa, escrever etc).

Melhorar a climatização dos ambientes

Nada mais desconfortável do que entrar no seu lar e a temperatura interna dela estar igual ou superior/inferior a temperatura exterior — isto é, a da rua. Além de causar irritação por você continuar a suar ou a sentir frio e não estar disposto a fazer nenhuma tarefa doméstica, a falta de climatização afeta também o seu bem-estar psicológico e ainda causa problemas de saúde.

Logo, uma redecoração junto com uma reforma da casa podem resolver esse problema. Como? Com a adoção de soluções simples, como o cultivo de plantas e a utilização de fontes d’água no interior da residência, até medidas mais sérias, como a instalação de um sistema de calefação e a abertura de novas entradas de ar no imóvel.

Adaptar o lar às necessidades da sua família

Um quarto benefício da redecoração é que você consegue adequar o lar às necessidades da sua família, especialmente daqueles que precisam de ambientes adaptados para facilitar a locomoção e evitar acidentes domésticos, como é o caso de crianças pequenas, idosos ou pessoas com mobilidade parcial ou totalmente reduzida.

Além disso, se você tem a possibilidade de trabalhar de casa, é possível criar recintos personalizados (como um home office ou um estúdio) para suas tarefas. Para completar, ao repaginar a moradia ainda dá para criar um espaço exclusivo para a criação de um animal de estimação, incluindo aqueles mais exóticos, como aves, répteis e roedores.

Deixar o imóvel com a sua cara

Fora o que já foi dito, é preciso reforçar que a redecoração do imóvel permite que você imprima sua personalidade em cada espaço dele e use tanto o mobiliário quanto os itens decorativos para contar a sua história e mostrar as suas conquistas. Assim, cada canto passa a guardar lembranças e fazer referências a momentos importantes na sua vida.

Afinal, nada mais gratificante do que você entrar em casa e sentir que aquele é, de fato, o seu lar, que ele tem a sua cara e principalmente a sua essência.

Tornar os cômodos mais confortáveis e convidativos

Por fim, é importante destacar que redecorar contribui para deixar a sua casa mais aconchegante e convidativa. O motivo disso é simples: ao adotar uma nova ambientação no interior do imóvel, você não se atém apenas em atualizar a estética e os padrões de arquitetura que ele tem — o que, é claro, o deixa muito mais atraente visualmente.

Você vai além e deixa o seu toque pessoal em cada canto, dá um novo significado à utilização dos espaços e potencializa os detalhes que estimulam a interação e a afetividade com o local. Com isso, você aumenta a sensação de acolhimento que o seu lar proporciona e o torna um verdadeiro refúgio da correria da rotina. Maravilha, não é?

Quais os principais itens da casa que precisam ser renovados?

No primeiro tópico, nós explicamos que redecorar a casa pode ou não envolver uma reforma e que isso depende dos seus objetivos e das suas necessidades. Porém, independentemente disso, há itens que sempre merecem atenção redobrada nesse processo para serem renovados e, dessa forma, darem uma repaginada nos ambientes. Abaixo, você fica por dentro de quais são eles!

Cores

O primeiro deles é a paleta de cores — e é fácil entender o porquê, não é verdade? Afinal, mesmo mudando somente elas, isso já é mais que o suficiente para que o interior da residência ganhe novos ares. Duvida? Pois faça um experimento. Escolha um cômodo que tem só paredes brancas e pinte uma delas de azul, por exemplo.

Você verá como o local se transforma, se torna mais vivo, vibrante e, por vezes, cheio de vida. Como se não bastasse, tonalidades claras são ótimas aliadas para aumentar visualmente os espaços, torná-los mais iluminados e mais frescos. Ah, e não se engane: você pode explorar diferentes tons no imóvel sem precisar obrigatoriamente pintar as superfícies. Basta recorrer a adesivos e papéis de parede para ajudá-lo nessa tarefa!

Acabamentos

Os acabamentos, por sua vez, envolvem tanto itens que são bastante visados quanto detalhes pequenos que muitas vezes passam despercebidos aos nossos olhos, mas que fazem toda a diferença para quem deseja ter um lar sofisticado e bem preservado. No primeiro grupo, por exemplo, estão os revestimentos para superfícies verticais e horizontais que costumam ser substituídos numa redecoração por opções mais in voga.

Tanto é que nos últimos anos o design de interiores tem privilegiado paredes revestidas de pedras naturais (como o mármore) e pisos de madeira. Já no segundo grupo estão os rodapés, os rejuntes, os forros, as esquadrias e afins que podem ser refeitos, consertados ou trocados por modelos novos.

Iluminação

Fora as cores e os acabamentos, há as fontes de luz. Em uma redecoração, elas costumam ser reformuladas para dar destaque a móveis e itens decorativos, criar locais personalizados dentro do lar (como o canto da leitura ou o canto da meditação) e proporcionar a luminosidade que cada cômodo requer.

Por exemplo, quartos demandam uma iluminação difusa que não exige esforço da vista e que induz ao sono — algo que pode ser alcançado por meio de abajures e plafons. Já o banheiro precisa de uma iluminação direta e focada, uma vez que você faz diversas atividades em frente ao espelho que exigem atenção, desde escovar dentes a se maquiar — algo que é possível por meio de spots e fitas de LED.

Móveis

O mobiliário é uma parte indispensável na nova decoração, visto que o usamos diariamente para armazenar coisas, dispor objetos decorativos, sentar e/ou deitar, fazer refeições etc. Além disso, ele pode contribuir efetivamente para a otimização do espaço quando é feito sob medida.

Por isso, durante a redecoração é fundamental escolher móveis de madeira, como a madeira de demolição, que tem não só uma qualidade de fabricação, como também um acabamento e um visual muito superiores ao que proporcionam outros materiais encontrados no mercado e que, justamente por isso, têm preços bem baixos.

Ou seja, ao adquirir mesas, armários, camas, cristaleiras e outras peças desse tipo, você garante uma mobília exclusiva que é sinônimo de beleza, durabilidade e resistência.

Objetos decorativos

Para concluir a lista de itens que não podem passar batidos em uma redecoração, não poderiam faltar os objetos decorativos. Afinal, são eles que dão um toque particular aos ambientes, fazem referências às tendências da arquitetura, trazem simbolismos (religiosos, culturais, étnicos etc.) e complementam o estilo de décor adotado no imóvel.

Por isso, vale a pena rever peças como vasos, quadros, tapetes, painéis, letreiros, esculturas, espelhos, muranos e afins, uma vez que alguns itens até podem ser reaproveitados e receberem personalizações no material e no design deles.

Inclusive, a reciclagem e remodelação à mão de objetos está em alta no design de interiores, pois traz modernidade, mostra consciência ambiental e decora os recintos com exemplares decorativos únicos e exclusivos.

Como planejar a decoração nova do imóvel

Após ler o que falamos sobre as principais partes da casa que precisam ser renovadas, você deve estar se perguntando como planejar a nova decoração dela, não é mesmo? Por essa razão, reunimos algumas dicas que vão ajudar (e muito) nessa etapa. Veja!

Defina as mudanças que deseja

Antes de mais nada, é preciso que você pegue papel e caneta e anote quais são as mudanças que você deseja ao redecorar a casa. Por exemplo, elas são exclusivamente decorativas — envolvendo troca de paleta de cores, compra de utensílios domésticos e renovação da mobília — ou se tratam de alterações estruturais no imóvel — envolvendo remoção de paredes, criação de cômodos, abertura de claraboias no teto etc.

Essa é uma tarefa simples, mas que ajudará muito na hora de prever um orçamento, pesquisar materiais e, em especial, definir quais os profissionais mais adequados para supervisionar todas as etapas da renovação da sua residência.

Estabeleça o estilo de décor a ser seguido

Uma vez batido o martelo sobre as mudanças desejadas, não deixe de estabelecer qual o estilo de décor você quer para o seu lar. Afinal de contas, é ele que vai ditar a estética dos ambientes e assegurar que eles funcionem como uma unidade visual — se integrando e compartilhando características, mesmo estando distantes uns dos outros.

Logo, é crucial conhecer a fundo as vertentes do design de interiores (decoração rústica,  decoração boho, decoração cottage, decoração art déco etc.) para realmente se identificar com a escolha feita e, assim, evitar futuros arrependimentos e novos gastos desnecessários para alterar os recintos. 

Contrate um profissional especializado

Outra dica bastante importante é contratar um arquiteto, um designer de interiores ou um decorador. Isso porque nada melhor do que contar com alguém do ramo para orientá-lo sobre as tendências de decoração, tirar as suas dúvidas, ajudá-lo a concretizar as suas ideias e principalmente evitar erros que comprometam o conforto, a estética e a estrutura do imóvel.

Para tanto, você pode contar com referências de profissionais que já tenham realizado projetos para amigos e familiares ou então pesquisar por aqueles que estão em evidência na sua cidade pela qualidade do trabalho, o portfólio diferenciado e vanguardista ou mesmo os clientes que eles costumam atender.

Monte uma lista de compra de materiais e peças decorativas

A última etapa do planejamento é montar uma lista com tudo o que você precisa adquirir para transformar os cômodos e deixá-los com um novo visual. Vale ressaltar, é claro, que ela precisa ser detalhada ao máximo possível para evitar erros e quantidades insuficientes de itens. Por isso, uma boa sugestão é separar o que é necessário adquirir em duas categorias: materiais e peças decorativas.

Na primeira, você acrescenta produtos como tintas, revestimentos (azulejos, cerâmicas, pastilhas etc.), lixas, massas acrílicas, pincéis, seladores e afins, enquanto no segundo entra tapetes, luminárias, utensílios de cozinha (panelas, louças, talheres etc.), prateleiras, espelhos, nichos etc.

Por onde começar?

Você já traçou todos os detalhes do seu planejamento e está com ansiedade a mil para ver a sua casa ganhar uma cara nova? Pois então é hora de colocá-lo em prática. Para tanto, é importante só começar a mudar as coisas quando a mão de obra para pintar, trocar revestimentos e afins já tiver sido fechada e os materiais e peças que foram comprados estiverem à disposição desses profissionais. 

Isso evita, por exemplo, que ocorram atrasos e paralisações frequentes e a redecoração leve mais tempo do que o previsto inicialmente. Além disso, assegure que esse processo não ocorra simultaneamente em vários ambientes, mas sim em um por vez. Do contrário, a sua residência ficará de pernas para o ar — e isso não é exagero! 

A bagunça toma conta dos recintos, o seu conforto é reduzido drasticamente e até atividades simples são afetadas (como fazer uma refeição na sala de jantar ou receber a visita de parentes). Isso sem falar que você ainda perde a privacidade da sua família com tantas pessoas circulando no interior da casa.

Quais os cuidados necessários?

Para encerrar este nosso guia especial, não podíamos deixar de falar sobre os cuidados necessários durante a redecoração do seu lar. Afinal de contas, eles evitam danos aos seus bens pessoais, problemas na usabilidade dos cômodos e a necessidade de trabalho em dobro para concluir as mudanças no imóvel. Portanto, já sabe: tome nota!

Cubra o piso ao pintar as paredes

O primeiro deles é até bastante óbvio, é verdade, mas ainda assim essencial: vai pintar ou adotar padronagens feitas à mão nas paredes? Então não deixe de cobrir o chão! Dessa forma, é possível evitar que ele fique sujo ou manchado, ainda mais quando a sua casa conta com um piso quente (como carpete, taco, laminado etc.) que têm a superfície mais delicada — e, consequentemente, mais suscetível a danos.

Uma boa forma de fazer isso é adotar os bons e velhos jornais ou então cobrir o piso com uma lona plástica. Algo bem simples, mas que evita muitas dores de cabeça!

Proteja o mobiliário

Assim como ocorre com os revestimentos, o mobiliário também requer proteção. Basta ter em mente que com o vai e vem de pessoas nos ambientes podem ocorrer facilmente esbarrões e colisões com eles. 

Para agravar a situação, esses acidentes podem não envolver alguém, mas sim algo que vai de encontro aos móveis para casa e causa arranhões, riscos e outros tipos de avarias na superfície deles, como ferramentas, produtos abrasivos, escadas, ferragens, sacos de entulho e por aí vai. 

Por essa razão, é interessante isolar a mobília que pode ser removida de lugar enquanto ocorrer a redecoração e as possíveis reformas (como mesas de jantar, mesas de centro, aparadores, poltronas etc.). Já em relação aqueles que são fixos nas paredes, o recomendado é revesti-los com papelões e mantas e inserir protetores nas quinas deles.

Armazene os itens decorativos em um lugar seguro

Itens decorativos são fáceis de cair do lugar onde estão inseridos e quebrarem, em especial quando há toda a movimentação da qual já falamos. Portanto, o melhor a se fazer é enrolá-los em plástico bolha e guardá-los dentro de caixas em um espaço seguro.

“Mas e se a quantidade de objetos que eu tiver for muito grande e, acima de tudo, de valor? Como faço?”, você deve estar se perguntando. Por isso, não se desespere! Essa é uma situação comum, principalmente para quem coleciona quadros, esculturas, telas, louças, vasos e outros itens exclusivos.

Uma boa sugestão nesses casos é alugar um box privativo em uma empresa de self-storage. Assim, é possível armazenar tudo o que você precisa com segurança, praticidade e pelo tempo que for necessário.

Não use materiais inadequados para os ambientes

Não utilize materiais que são inadequados para determinados ambientes, como é o caso das áreas molhadas (como a cozinha e a área de serviço). Essa medida evita que em um curto prazo de tempo você tenha que substituí-los para não comprometer a estética do local e até mesmo o uso dele na sua rotina.

Um exemplo disso é aplicar papéis de parede de veludo ou papel tradicional dentro do banheiro que é um local úmido. Ao lavar as mãos, tomar banho ou mesmo limpar o recinto haverá inevitavelmente contato da água com as superfícies verticais. 

Como resultado, os papéis de parede vão ser molhados e podem se desfazer, descolorir ou ainda pior: se tornarem um foco de mofo, deixando o espaço com uma aparência feia e um cheiro nada agradável.

Atente ao clima na sua cidade

O último cuidado é ficar de olho no clima na sua cidade. Ou seja, acompanhar a previsão de chuva durante os dias em que você vai fazer a decoração externa da sua casa — independentemente de se tratar do jardim, da varanda ou terraço. 

Afinal, isso pode atrapalhar o trabalho dos profissionais envolvidos nessa etapa, danificar materiais (tintas, cimento, argamassa etc.) e, inclusive, alterar o resultado da aplicação de revestimentos sobre as superfícies, da construção de paredes, da montagem de canteiros para plantas e muito mais. Portanto, atenção redobrada!

Agora que você sabe qual o melhor momento para redecorar a casa, conhece todos os benefícios que envolvem essa decisão, sabe quais são os itens que merecem mais atenção nesse processo e, inclusive, quais os cuidados necessários ao longo das etapas, vai ser muito mais fácil e seguro dar uma cara nova ao seu lar e deixá-lo do jeito que você sempre desejou.

Por isso, aproveite e entre em já contato com a gente para adquirir móveis feitos sob medida, com design diferenciado e qualidade de ponta para deixar os ambientes ainda mais bonitos e sofisticados!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply