Decoração

Guia rápido de como usar flores na decoração do seu apartamento!

fevereiro 22, 2019
Tempo de leitura 6 min

Cá entre nós: é difícil encontrar quem não goste de usar flores na decoração de casa, não é verdade? Afinal, elas deixam os ambientes mais frescos, perfumados, coloridos e cheios de vida. Isso sem falar, é claro, que é uma forma de se engajar com causas ecológicas e ainda trazer a natureza para o interior do seu lar.

Porém, como ocorre um turbilhão de ideias e expectativas a respeito do assunto, é comum surgirem dúvidas sobre quais são as espécies mais adequadas aos apartamentos e como cultivá-las sem erros. Por isso, reunimos algumas dicas que vão lhe ajudar (e muito) nessa missão. Acompanhe!

Atente às particularidades de cada ambiente

A primeira dica é essencial: atente às particularidades de cada recinto. Afinal, embora pareçam coisas banais, elas são capazes de afetar tanto positiva quanto negativamente o desenvolvimento das flores, fazendo com que elas pereçam em tempo recorde e todos os seus esforços para cultivá-las sejam em vão — o que é bem chato, não é?

Por exemplo, no caso dos banheiros e dos lavabos que têm um alto e constante nível de umidade e pouca iluminação natural, só é possível ter espécies que podem crescer na sombra e demandam apenas uma quantidade grande de água para sobreviver.

Isso porque elas vão absorver boa parte dessa umidade e você só precisará fazer regas ocasionais. O lírio da paz, a flor da fortuna e a tilândsia são algumas boas alternativas para esse espaço.

Nas varandas e as sacadas, por sua vez, é interessante contar com espécies que realmente necessitam de várias horas expostas ao sol todos os dias, como a rosa do deserto, a orquídea e a ametista. O motivo disso é simples: esses locais do apartamento são os que recebem a maior iluminação natural. 

Para a cozinha, por outro lado, o ideal é ter flores que suportem as variações de temperatura que são provocadas cada vez que você ou outro morador usa o fogão e o forno — especialmente os modelos a gás — para cozinhar. Entre as opções mais resistentes, estão a violeta, a flor-de-maio (uma subespécie de cacto) e a rosa de pedra (uma subespécie de suculenta).

Já para quartos e salas com janelas, é possível criar flores que são meio-termo. Ou seja, se desenvolvem bem com luz indireta e não precisam de regas frequentes ou umidade local alta. Algumas sugestões são a gerânio, a lavanda e a begônia.

Conheça as características de cada espécie

Após entender a fundo as particularidades dos ambientes do seu lar e como usá-las corretamente ao seu favor, é hora de conhecer as características das flores que você pretende cultivar.

Isso é importante porque muita gente se deixa levar apenas pelas imagens que encontra na internet e acaba se arrependendo depois por falta de conhecimento. Portanto, para evitar esse tipo de problema, faça uma pesquisa prévia para saber alguns detalhes-chave, certo? O primeiro deles é o tamanho das espécies. 

Tenha em mente que há várias com pétalas pequenas e delicadas, mas que têm o pedúnculo longo — isto é, a haste que as sustenta — chegando, em alguns casos, a passar de 50 cm, como ocorre com a russélia e a agapanto. 

Logo, é preciso ter não só o vaso adequado para cultivá-las, como um espaço proporcional as dimensões dessas flores para, dessa maneira, inseri-las sem poluir visualmente os cômodos. Lembre-se que não é difícil que algumas ultrapassem essa média e se tornem ainda maiores do que já são!

Além disso, caso você tenha um pet em casa (seja ele um gato, seja ele um cachorro) é preciso redobrar o cuidado antes de usar plantas ou flores na decoração. 

O que explica isso é o fato de que, embora sejam inofensivas para gente, algumas espécies podem tóxicas para os bichinhos, especialmente se eles a cheirarem de perto ou ainda pior: mastigá-las por curiosidade. Nessa situação, é uma boa conversar com veterinário do seu companheiro de quatro patas para não correr riscos.

Por último, use uma muda da flor desejada para saber se, na prática, você vai gostar de sentir o perfume que ela exala. Afinal, nem todo mundo tem os mesmos gostos e preferências, não é verdade? O jasmim e a camélia, por exemplo, são muito bonitas, mas uma boa parcela das pessoas não se adaptam com elas dentro de casa por considerarem o cheiro delas muito forte. Ou seja, fazer um teste é indispensável!

Saiba os locais certos para usar flores na decoração

A nossa terceira dica é saber os locais certos para usar flores na decoração e compor ambientes agradáveis e esteticamente bonitos. Do contrário, elas podem parecer dispersas nos recintos e atrair atenção indesejada — o que, sem dúvidas, não é a sua intenção. Por isso, confira as nossas sugestões:

  • na varanda, cultive-as em treliças junto com as plantas para um cenário colorido e cheio de referências à natureza;

  • na sala de estar, coloque-as em hangers presos ao teto ou em terrários sobre as mesas de centro e os racks;

  • na sala de jantar, crie arranjos ornamentais para embelezar a mesa de jantar, especialmente ao receber convidados;

  • no hall de entrada, coloque vasos com flores sobre o aparador;

  • nos banheiros e lavabos, use cavaletes personalizados para expor as flores ao lado da pia ou da banheira (caso seja uma suíte master);

  • nos dormitórios, elas podem ser inseridas em cestos feitos de fibras naturais postos sobre uma escrivaninha ou cômoda próximas à janela.

Tenha os materiais necessários para cultivar flores

Por fim, mas não menos importante, é hora de abordar os principais cuidados para preservar as flores na decoração. O primeiro deles é evitar o uso de vasos com furos sobre móveis. Tenha em mente que o objetivo desses pequenos buracos é justamente vazar o excesso de água, especialmente quando a flor é cultivada com terra. Ou seja, se ela escorrer por eles pode danificar a sua mobília e itens decorativos próximos.

Evite também regas muito demoradas para não encharcar o solo, pois isso pode provocar não só o aparecimento de insetos, como também a morte das flores. 

Para completar, não use vasos de vidro, porcelana, cerâmica ou outro material frágil em áreas de grande circulação, como corredores. Isso porque esbarrões podem acontecer a qualquer momento e eles acabarem trincados (ou completamente quebrados). Para locais assim, o ideal são recipientes de cimento ou concreto que são mais resistentes e podem, inclusive, serem usados sobre o piso.

Como você viu, ter flores na decoração é uma excelente estratégia para transformar os ambientes e deixá-los ainda mais charmosos e agradáveis. Por isso, siga as nossas dicas para escolher as espécies certas para o seu lar e garantir que elas sejam inseridas nos locais adequados para se desenvolverem sem problemas e durarem muito mais!

Aproveite e curta a nossa página no Facebook para conferir outras sugestões para personalizar cada vez mais o seu lar!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário