Decoração

Cores para paredes internas: 5 dicas para acertar na escolha

setembro 17, 2018
Cores para paredes internas 5 dicas para acertar na escolha
Tempo de leitura 6 min

As cores transmitem valores que traduzem o que você pensa sobre o mundo. Elas são muito mais do que um complemento na decoração: são fundamentais para a composição de um ambiente. Por isso, é tão importante escolhê-las corretamente.

Algumas cores são independentes e se destacam sozinhas, enquanto outras transmitem charme e elegância ao serem utilizadas com outras combinações.

Para acertar na escolha das cores para paredes internas e deixar seu ambiente aconchegante e acolhedor, acompanhe as 5 dicas imperdíveis a seguir!

1. Combine as cores da parede com a iluminação

A iluminação do ambiente interfere diretamente na qualidade de vida das pessoas. Um ambiente mal iluminado, escuro e sem cores pode causar sonolência, cansaço e desconforto visual.

As cores transmitem as mais variadas sensações, influenciam no humor, na satisfação e até mesmo na motivação e no desempenho. Assim, ao fazer a escolha das tonalidades, é importante avaliar a iluminação do ambiente. A intensidade da iluminação no local — bem como outros fatores —, pode influenciar o resultado final.

Nesse sentido, a luz natural é o principal tipo de luminosidade que reflete a cor original da parede. Outros tipos de luz causam pequenas alterações. Portanto, ao escolher a cor, verifique se a iluminação está de acordo com ela. Procure também utilizar tons que combinem com o tipo de iluminação do ambiente. A escolha da lâmpada interfere no resultado final.

Lâmpadas incandescentes valorizam cores quentes por ter uma tonalidade mais amarelada. Já as lâmpadas halógenas emitem uma cor neutra. Por isso, são uma excelente opção para equilibrar ambientes com cores escuras ou quentes.

As lâmpadas fluorescentes são frias e, por isso, a dica é utilizá-las em ambientes azuis ou verdes. Já as de LED combinam bem em qualquer local da casa.

2. Veja como a localização interfere nas cores para paredes internas

Ao escolher as cores para paredes internas, é importante levar em consideração a sua localização geográfica, além de considerar as estações do ano. A luminosidade natural varia durante o ano e influencia diretamente na reflexão das cores da parede.

A localização do estabelecimento é importante, pois o clima da região interfere na luminosidade do ambiente. Fique atento também à questão da reflexão: quanto mais clara, mais reflexo a cor emite, e isso pode alterar até a temperatura do ambiente.

A cor branca é fria e reflete a luz. Portanto, em casas ou regiões ensolaradas, paredes brancas podem deixar o ambiente fresco e agradável. Já em regiões de clima frio, essa cor deixa o ambiente mais fresco. Por isso, nessas regiões ou em casas que não recebem muita luz solar, o ideal é investir nas cores de tonalidades bege, amarelo ou laranja.

3. Abuse do círculo cromático

O círculo cromático é uma ferramenta muito interessante para aprender a combinar as cores e não errar. Vamos explicar como ele funciona para que você entenda todas as combinações que é possível fazer. O círculo cromático é composto por alguns tipos de cores. Acompanhe a seguir.

Primárias ou puras

São as cores vermelho, amarelo e azul.

Secundárias

É o resultado da mistura de duas cores primárias.

Terciárias

É a mistura de uma cor secundária e uma primária, por exemplo: verde limão, turquesa etc.

Complementares

São aquelas que estão em lados opostos no círculo cromático.

Análogas

São as cores próximas, vizinhas umas das outras.

Tríades

Desenhe um triângulo equilátero sobre o círculo cromático: o resultado são as três cores apontadas pelos vértices.

Decompostas

Desenhe um triângulo isósceles sobre o círculo. O resultado são as três cores apontadas pelos vértices.​

Agora que você já entendeu como o círculo cromático é formado, é só deixar a criatividade fluir para escolher cores lindas e combinações perfeitas para a sua casa.

4. Escolha o acabamento ideal

Não é só a escolha da cor que garante que as paredes fiquem do jeito que você quer. Escolher o tipo de acabamento da tinta é imprescindível para conquistar um resultado final que irá superar as expectativas.

Existem vários produtos no mercado com as mais diversas finalidades. Vamos citar os principais para que você faça a escolha certa. O primeiro critério que deve ser avaliado é o tipo de tinta. Veja alguns deles.

Tinta látex PVA

É uma tinta à base de água, não é resistente e sai facilmente durante a limpeza. É mais indicada para áreas internas, de preferência locais secos. Sua única opção de acabamento é o fosco.

Tinta acrílica

A tinta acrílica também é à base de água. Pode ser utilizada tanto em ambientes internos quanto externos. Existem no mercado tintas acrílicas superlaváveis que são ideais para casas com crianças. Tem acabamento acetinado.

Tinta epóxi

A tinta epóxi é um produto de base sintética. É resistente à umidade e pode ser utilizada tanto em ambientes internos quanto externos, inclusive sobre azulejos.

A escolha da tinta não é determinada apenas pelo tipo. O acabamento, que deve ser escolhido segundo seu próprio gosto e estilo, deve ser o principal item de avaliação na escolha do produto. Para ambientes internos, são indicados três tipos de acabamento. Acompanhe.

Fosco

Confere um visual sem brilho. Para quem não gosta de reflexo na parede, esse é o acabamento ideal. É indicado quando a parede tem muitas imperfeições, como ondulações, pois disfarça esses problemas. É também uma opção economicamente interessante, já que é o tipo mais barato.

Outra vantagem do material fosco é em relação ao retoque. Esse é o único tipo de acabamento que aceita reparos sem precisar pintar a parede toda.

Uma desvantagem, porém, diz respeito à limpeza, já que ele tem uma porosidade maior do que os outros tipos de acabamento.

Acetinado

Confere um acabamento bonito e sofisticado. É excelente para a limpeza, pois é muito resistente.

Um cuidado importante em sua aplicação é em relação à qualidade da parede: ela deve estar sem ondulações para que as imperfeições não se sobressaiam.

Por fim, o acabamento acetinado tem um leve brilho. Por isso, se for necessário fazer retoques, a parede inteira deve ser pintada para ficar perfeita.

Semibrilho

É um acabamento com brilho um pouco mais intenso e que reflete a luz com maior intensidade. Se a parede tiver muitas imperfeições, será destacada. É um acabamento menos poroso, o que facilita a limpeza.

5. Siga a tendência das cores para 2018

Para escolher a melhor opção, e diante de tantas ofertas, confira a seguir as cores do ano escolhidas pela Pantone e por alguns fabricantes de tinta.

Pantone

A cor escolhida este ano foi a Ultra Violet, um tom de púrpura que transmite os mistérios do Cosmos. A cor, que estabelece relações com o celeste, a imaginação e as reflexões espirituais sobre o que está por vir, estimula a criatividade.

Eucatex

Já a escolhida pela Eucatex foi a Verde Eucalipto. Ela tem vários significados, como a conexão com a natureza, e traz boas vibrações, além de permitir combinações com várias outras tonalidades.

Sulvinil

A Sulvinil apostou na cor Terra Roxa como a cor do ano para 2018. Ela é um tom terroso alaranjado que remete à natureza e também estimula a criatividade.

Com todas essas informações, com certeza você já pode escolher as cores para paredes internas sem medo de errar.

Gostou das nossas dicas? Então siga nossas páginas no Facebook e Linkedin e acompanhe as nossas atualizações!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário