Decoração

5 cidades incríveis para quem gosta de arquitetura

outubro 9, 2018
Tempo de leitura 5 min

Viajar inspira. Permite conhecer pessoas, culturas diferentes, provar comidas exóticas e, principalmente, respirar outros ares e ver tudo sob uma perspectiva nova — e isso inclui a arquitetura, que pode se alterar muito de um lugar para outro!

Pensando nisso, preparamos este post com dicas de cidades para quem gosta de arquitetura. Se o assunto interessa a você, acompanhe este post!

1. Brasília

Inaugurada no dia 21 de abril de 1960, a capital do Brasil foi um plano do então presidente Juscelino Kubitschek — que tinha como objetivo dar uma cara mais moderna à arquitetura urbana do nosso país. E, com Brasília, podemos dizer que conseguiu!

O projeto arquitetônico da cidade foi criado por Lúcio Costa e a maior parte dos prédios importantes são assinados pelo o arquiteto Oscar Niemeyer. Lá, encontra-se muitas curvas e formas diversas, pois ambos os profissionais foram inspirados pelo estilo modernista.

Por causa dessa parceria — e do belíssimo resultado —, Brasília tem 112,25 km² de área tombada pela UNESCO, pois é considerada um Patrimônio Cultural da Humanidade. Abaixo, confira quais construções você não pode deixar de ver quando for visitar a Capital Federal:

  • Congresso Nacional;
  • Palácio do Planalto;
  • Supremo Tribunal Federal;
  • Catedral Metropolitana;
  • Teatro Nacional;
  • Palácio da Alvorada;
  • Memorial JK;
  • Palácio do Itamaraty;
  • Torre de TV Digital;
  • Museu Nacional Honestino Guimarães.

2. Salvador 

Falamos da atual capital brasileira, agora é hora de falar da primeira delas desde a chegada dos portugueses ao nosso país. Conhecida também como “cidade de dois andares”, Salvador é dividida entre Cidade Baixa e Cidade Alta e também é sinônimo de ecletismo e cor. 

Isso porque, durante o Brasil Colônia, muito do estilo europeu foi importado: havia desde influências renascentistas, passando pelo barroco até o rococó. Assim, a paisagem do Centro Histórico é formada por construções dos séculos XVI ao XIX — e há edifícios para todos os gostos: seja arquitetura religiosa, civil ou militar.  

O que visitar quando for à Baía de Todos os Santos? Confira:

  • Forte e Farol da Barra;
  • Catedral Basílica;
  • Igreja de São Francisco;
  • Elevador Lacerda;
  • Mosteiro de São Bento;
  • Igreja de Santo Antônio da Barra;
  • Igreja da Conceição da Praia;
  • Igreja do Bonfim;
  • Forte São Marcelo;
  • Praça Municipal;
  • Terreiro de Jesus;
  • Caminho de São Francisco;
  • Largo do Pelourinho;
  • Largo de Santo Antônio;
  • Largo do Boqueirão.

3. Paris

A capital da França é cheia de charme e romantismo e, por isso, há muito o que ver por lá. Por se tratar de uma cidade muito antiga, mistura vários estilos: desde o medieval (o local se chamava Lutetia durante o Império Romano e ainda conserva alguns traços da época), passando pelo barroco e o classicismo até chegar às construções contemporâneas.

O que é de se admirar em Paris é o fato de que os edifícios modernos se desenvolveram de forma gradual a partir de estilos anteriores; palácios e mansões sobreviveram, transformando-se em apartamentos e lojas, e a maioria das ruas abriga uma série de edifícios de vários séculos. Por isso, a cidade apresenta unidade e muita beleza.

Confira quais são os “must see” arquitetônicos de Paris, desde os mais antigos aos mais modernos:

  • Notre Dame de Paris;
  • Arco do Triunfo;
  • Basílica do Sacré Coeur;
  • Torre Eiffel;
  • La Grande Arche;
  • Panteão de Paris;
  • Foundation Louis Vuitton;
  • Sede do Partido Comunista Francês (o projeto é do arquiteto já mencionado Oscar Niemeyer);
  • Centro Pompidou;
  • Parque de la Villette;
  • Instituto do Mundo Árabe;
  • Grande Arco de La Défense;
  • Opéra Bastille;
  • Pirâmide do Louvre;
  • Cinemateca Francesa;
  • Biblioteca Nacional da França;
  • Museu do Quai Branly;
  • Hotel Fouquet’s Barrière.

4. Quioto

Quioto é sinônimo de história milenar. Isso porque foi a primeira capital do Japão (do século VIII ao XVII), e era a morada da família imperial. Por conta desse passado memorável, a cidade oferece uma mistura de experiências arquitetônicas, que vão desde museus modernos e galerias de arte à arquitetura tradicional japonesa de templos (são mais de dois mil!), santuários e castelos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Quioto viveu uma séria ameaça, pois seria alvo de um bombardeamento pelos EUA, já que concentrava intelectuais japoneses e tinha uma população grande, o que seria suficiente para uma rendição do Japão.

Contudo, para que o patrimônio histórico fosse conservado, a decisão foi repensada e o Secretário de Guerras estadunidense Henry L. Stimson fez com que a cidade fosse substituída por Nagasaki.

Por fim, vale mencionar que, ainda que Quioto seja uma cidade de aproximadamente 1,5 milhão de habitantes, é muito compacta e perfeita para ser explorada a pé. Então, veja o que você não pode perder quando cruzar o globo:

  • Castelo de Nijo;
  • Kinkaju-ji;
  • Palácio Dourado;
  • Fushimi Inari;
  • Kyiomizo-dera;
  • Quioto antiga (ruas repletas de construções antigas, para além dos templos);
  • Kyoto Concert Hall;
  • Shimogamo Shrine;
  • Museu de Arte Municipal de Quioto;
  • Heian Jingu Shrine.

5. Atenas

O berço da democracia é famoso por alguns dos maiores monumentos culturais do mundo, como o Partenon, que é símbolo da beleza da Grécia Antiga. Inspirada pelos estilos jônico, dórico e o coríntio, a arquitetura grega conta com materiais como pedras, mármore, madeira e calcário. 

As principais construções erguidas por lá eram os templos grandiosos, com colunas harmoniosas e proporcionais, que sediavam eventos esportivos, acontecimentos civis e alguns eram, para a população, a morada dos deuses.

A boa notícia é que, graças à arqueologia, a maioria dos edifícios e locais históricos estão bem conservados até hoje. Veja, então, o que não pode deixar de ser visto quando você for à Atenas!

  • Templo de Atena Nike;
  • Parthenon;
  • O Erecteion;
  • Estádio Panatenaico;
  • Odeon de Herodes Atticus;
  • Embaixada dos Estados Unidos;
  • Museu da Acrópole;
  • Museu Nacional de Arte Contemporânea.

Viu só? Agora basta planejar a sua próxima viagem e anotar todas essas dicas para não esquecer de prestigiar nada importante. Afinal de contas, ver ao vivo e a cores faz toda a diferença!

Gostou de saber mais sobre essas cidades para quem gosta de arquitetura? Então, que tal ter acesso a mais conteúdos como este? Siga-nos em nossas redes sociais e receba em sua timeline novidades sobre o tema. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário